PRINCIPAIS REGRAS ORTOGRÁFICAS DA LÍNGUA PORTUGUESA. - Atividades de Português

Atividades de Português

Atividades Português, Provas, Simulados e Apostilas

PRINCIPAIS REGRAS ORTOGRÁFICAS DA LÍNGUA PORTUGUESA.

Compartilhe
Exercícios de Português
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS
REGRAS ORTOGRÁFICAS

Ortografia

ORTOGRAFIA 

É a parte da gramática que determina como as palavras devem ser escritas, segundo os padrões da língua culta.
Na língua portuguesa, diversos fatores dificultam a escrita correta de certas palavras. Um desses fatores, por exemplo, relaciona-se à possibilidade de alguns fonemas admitirem diferentes grafias.

Embora poucas orientações sejam realmente eficientes para escrever de modo correto os vocábulos, há três procedimentos que, em conjunto, podem diminuir as dificuldades relativas à ortografia:  Conhecer as orientações ortográficas que serão expostas a seguir;  Consultar, sempre que necessário, o dicionário;  Memorizar a grafia das palavras.

ORIENTAÇÕES ORTOGRÁFICAS 

Profª. Luciana Balduíno

Alguns empregos de S e Z a. Sufixos (terminações) -ES, ESA Observe a correlação entre as frases e também a letra em destaque: Meu primo nasceu na França – Meu primo é francês. Joana nasceu no campo – Joana é camponesa. Este chocolate veio da Holanda – Este chocolate é holandês.

REGRA 

Escrevem-se com s (-ês, -esa) os sufixos que indicam nacionalidade, origem ou procedência.

Alguns empregos de S e Z b. Sufixo –ISA Observe novamente: Masculino Feminino Ele é profeta. – Ela é profetisa. Ele é sacerdote. – Ela é sacerdotisa. Carlos é poeta. – Cecília é poetisa.

REGRA 

Escrevem-se com s (-isa) o sufixo que indica o gênero feminino.

Alguns empregos de S e Z c. Sufixos -EZ, -EZA Observe as correlações e os destaques: Adjetivo Substantivo Abstrato O carro é rápido. - O carro tem rapidez. O balão era leve. - O balão tinha leveza. A foto é nítida. - A foto tem nitidez.

REGRA 

São escritos com z (-ez, eza) os sufixos que se unem a adjetivos para formar substantivos abstratos.

Alguns empregos de S e Z d. Verbos terminados em –ISAR ou IZAR Observe as correlações e os destaques: Palavra primitiva Verbo derivado Aviso - avisar Análise - analisar Improviso - improvisar

REGRA 

São escritos com s (-isar) os verbos derivados de palavras que têm s na última sílaba. Obs.: Nesse tipo de verbo, o que ocorre é o simples acréscimo da terminação –ar após a letra s da última sílaba da palavra primitiva.

Agora observe: Palavra primitiva Verbo derivado Canal - canalizar Setor - setorizar Trauma - traumatizar Padrão - padronizar

REGRA 

São escritos com z (-izar) os verbos formados de palavras que não têm s na última sílaba. Obs.: Nesses verbos, a terminação que se adapta à palavra primitiva é –izar, que já apresenta a letra z.

Alguns empregos de S e Z e. Depois de ditongo: S ou Z? Observe os ditongos das palavras e a letra que se usou depois deles: Faisão maisena coisa Sousa pousada ausência

REGRA 

Depois de ditongo emprega-se sempre S, nunca Z.

Alguns empregos de S e Z f. Nas formas dos verbos querer e pôr: S ou Z? Observe: Quis, quiseram, quiser, pus, pusessem, pusemos etc.

REGRA 

Nas diversas formas dos verbos querer e pôr, usa-se sempre a letra S, nunca Z.

Alguns empregos de J e de G a. Observe as correlações e os destaques: Canja - canjica Loja - lojista Cereja - cerejeira Gorja - gorjeta

REGRA 

As palavras cuja última sílaba é – ja dão origem a palavras derivadas escritas com j.

Alguns empregos de J e de G b. Observe novamente: Viajar - viajei, viajem, viajemos etc. Arejar - arejem, arejei, areje etc. Enferrujar - enferrujou, enferrujem etc.

REGRA 

Todas as formas verbais dos verbos terminados em –jar são escritas com j e não com g.

Alguns empregos de J e de G c. Observe as terminações em destaque nas palavras: Adágio Privilégio Vestígio Necrológio subterfúgio

REGRA 

Escrevem-se com G as palavras terminadas em -ágio -égio -ígio -ógio -úgio

Alguns empregos de J e de G d. Observe novamente as terminações destacadas: Estiagem Fuligem ferrugem

REGRA 

São escritas com G as palavras terminadas em -agem -igem -ugem Exceções: pajem e lambujem.

Alguns empregos de X a. Depois de ditongo: X ou CH? Observe: Faixa Seixo Trouxa Afrouxar Rouxinol Deixar Encaixado Gueixa

REGRA 

Depois de ditongo emprega-se X e não CH.

Alguns empregos de X b. Depois de sílaba inicial EN: X ou CH? Observe: Enxoval Enxuto Enxotar Enxovia Enxaguar Enxó Obs.: enxovia – prisão enxó – ferramenta de carpinteiro

REGRA 

Depois da sílaba inicial –en emprega- se x e não ch. Obs.: Essa regra não se aplica às palavras com sílaba inicial –en, formadas a partir de palavras grafadas com ch. Exs.: encher, enchente etc. (de cheio); enchiqueirar (de chiqueiro); encharcar (de charco). Profª. Luciana Balduíno

ORIENTAÇÕES ORTOGRÁFICAS MAL e MAU 

Para grafar corretamente essas duas palavras, basta utilizar o seguinte critério prático: Se o antônimo for BEM, usa-se MAL. Se o antônimo for BOM, usa-se MAU.

Observe: Ontem o time jogou _________. (...jogou bem.) Marcelo é um ______ aluno. (...bom aluno.) Você está muito _____ informado. (...muito bem informado.)

Alguns empregos de E e de I a. Verbos terminados em –UAR observe a correlação entre as duas colunas: Verbo Forma verbal Efetuar - que ele efetue Habituar - que ele habitue Tumultuar - que ele tumultue Continuar - que ele continue

REGRA 

As diversas formas verbais dos verbos terminados em –UAR são escritas com E.

Alguns empregos de E e de I b. Verbos terminados em –UIR Observe a correlação: Verbo Forma verbal Possuir - ele possui Distribuir - ele distribui Usufruir - ele usufrui Concluir - ele conclui

REGRA 

As diversas formas verbais dos verbos terminados em –UIR são escritas com I.

FIQUE ATENTO! 

As orientações a e b são úteis nos casos em que há dúvida quanto ao uso de e ou i na forma verbal. Mas há também formas de verbos terminados em –UIR que são escritas com E (ex.: contribuem, possuem etc.), casos em que a própria pronúncia indica o uso dessa letra.

Palavras homônimas e parônimas 

a. Homônimas Observe estes três pares de palavras: São (verbo ser) – grafias e pronúncias iguais São (sadio) – grafias e pronúncias iguais Cela (de cadeia) – grafias diferentes e pronúncias iguais Sela (de cavalo) – grafias diferentes e pronúncias iguais Selo /ê/ - (subst.) – grafias iguais e pronúncias diferentes Selo /é/ - (verbo) – grafias iguais e pronúncias diferentes

PALAVRAS HOMÔNIMAS 

Palavras que têm sentidos diferentes, mas a mesma pronúncia e/ou grafia. Acento (sinal gráfico) Assento (lugar de sentar) Apreçar (indicar preço) Apressar (acelerar) Cessão (ato de ceder) Seção / secção (setor, parte) Sessão (espaço de tempo)

PALAVRAS HOMÔNIMAS 

Censo (estatística) Senso (juízo) Coser (costurar) Cozer (cozinhar) Empoçar (formar poças) Empossar (dar posse) Tacha (prego) Taxa (valor)

Palavras homônimas e parônimas 

b. Parônimas Compare a pronúncia e a grafia das duas palavras destacadas: A tarefa foi cumprida com facilidade. Puxa! Como a fila está comprida!

PALAVRAS PARÔNIMAS 

Palavras de sentidos diferentes que apresentam entre si certa semelhança na grafia e na pronúncia. Comprimento (medida) Cumprimento (saudação) Descrição (ato de descrever) Discrição (qualidade de quem é discreto) Eminente (ilustre) Iminente (que está para ocorrer)

PALAVRAS PARÔNIMAS 

Flagrante (no ato, evidente) Fragrante (perfumado) Infligir (aplicar) Infringir (desobedecer) Ratificar (confirmar) Retificar (corrigir)

USO DOS PORQUÊS POR QUE 

• Em frases interrogativas (diretas ou indiretas) Por que ele sumiu? Pessoal, eu não sei por que ele sumiu. • Em substituição à expressão pelo qual (e suas variações) As ruas por que passamos eram sujas.

USO DOS PORQUÊS PORQUE 

• Em frases afirmativas e respostas. Gramaticalmente é uma conjunção. Não fui à festa porque choveu. POR QUÊ • No final de frases Eles estão revoltados por quê? Ele não veio não sei por quê. PORQUÊ • Como substantivo Todos sabem o porquê de seu medo.

Apostila de português PDF

Nenhum comentário:

Postar um comentário